O vereador Sérgio Caldas Santana é o mentor do projeto de lei 11/2015  que institui o “dia do pequeno pescador na cidade de Santos”, “dia de qualquer coisa” já é um claro sinal da falta de engajamento social dos nossos representantes eleitos.

Dias comemorativos não mudam em nada  a realidade do país qualquer que seja o tema. Neste caso em questão além de estar consumindo recursos públicos com o processo legislativo para projetos de leis inúteis para a vida na cidade, o projeto de Sérgio Caldas Santana ainda faz apologia a predação de animais pelo homem, sob a frágil justificativa da “educação ambiental”.

A pesca esportiva, predatória ou qualquer que seja  sua modalidade, mutila animais ( quando não os mata em seguida).
Sem contar as dezenas de  tartarugas, gonfinhos, tubarões, raias que ficam presos as redes e tarrafas.

O pior é o projeto de lei de Sérgio Caldas Santana ainda contar com parecer favorável do relator, o vereador Benedito Furtado, membro da Frente Parlamentar Regional para o Bem Estar Animal ( veja o link:  http://bit.ly/1LG8rKn )

Em resumo: um projeto que incentiva a (des)educação em relação ao sofrimento dos animais proposto de forma incorreta por um vereador novato (Santana) que obtém parecer favorável de um vereador muito experiente (Furtado) que faz parte de uma frente parlamentar de defesa do bem estar dos animais.

O vereador em sua defesa do projeto de Sérgio Caldas Santana ainda cita a “ong” PROAAS – Projeto Amigos do Aquário de Santos –  que ao menos uma vez por ano retira animais livres do mar para aprisiona-los  no degradante Aquário Municipal de Santos, que é alvo de inquérito civil pelo MP de São Paulo.