rogério lins

Os políticos da cidade de Osasco/SP realmente não aprendem a lição. O ex-vereador e atual prefeito da cidade, Rogério Lins, que, desde sua época de parlamentar, já apoiava a exploração e maus tratos animais, agora ,como prefeito , potencializa seu descaso com os inocentes usados nas violentas provas do rodeio.

De acordo com o prefeito Rogério Lins, a retomada da tradicional Festa do Peão é extremamente importante para a cidade uma vez que aquece a economia local, gerando empregos diretos e indiretos, além de elevar o nome da cidade no circuito dos rodeios.

“Nossa cidade já realizou mais de 20 rodeios e a festa era considerada uma das mais importantes da região. Não tenho dúvidas que o rodeio volta pra ficar. Esse evento impulsiona a economia gerando mais de mil empregos, além de aquecer o setor hoteleiro e elevar o nome da nossa cidade”

Conquista antiga em defesa dos animais

Desde 2013 não existem mais rodeios ou festa de peão em Osasco em vista de um crescente movimento em defesa dos animais, e diversas ações judiciais  impetradas contra a prefeitura da cidade e os organizadores. Uma ação que ainda está em julgamento na vara da fazenda pública , já multou a prefeitura municipal  em R$ 200.000 por descumprimento de ordem judicial, por conta de ter permitido o uso de animais nas provas contrariando a liminar expedida pelo juiz . O ex-prefeito de Osasco  à época,  Jorge Lapas, também  foi investigado penalmente pelo descumprimento da ordem.

Maus tratos flagrados

Várias cenas de maus tratos animais foram flagradas na festa do peão de de de 2013 e entregue a justiça , entre elas o uso indiscriminado de chicote e esporas nos cavalos, além de acidentes envolvendo bezerros de 40 dias.

Proibição em lei

Osasco Dispõe de lei municipal que proíbe tal prática desde 2006 além de outras leis estaduais e federais que vedam o uso de animais em atividades que lhe causem maus tratos.
O ministério público ja foi oficiado e o grupo de defesa animal odeio rodeio está de prontidão para todas as medidas possíveis para resguardar o direito dos animais.

Escândalos  além da causa animal

Rogério Lins teve que pagar R$ 300.000,00 para sair da prisão preventiva e tomar posse como prefeito foi acusado de  fazer parte de uma quadrilha junto com outros 10 vereadores por terem desviado cerca de R$ 21 milhões de reais dos cofres públicos enquanto era vereador.