Paulo Henrique CorreaPaulo Henrique Correa votou a favor da lei para legalizar provas do laço e vaquejadas em Barretos, a lei foi considerada inconstitucional pelo TJ-SP.

 

 

 

 

 

 

Uma liminar do Tribunal de Justiça do estado de São Paulo considera inconstitucional uma lei municipal aprovada em fevereiro deste ano pela Câmara dos vereadores de Barretos, que foi inclusive sancionada pelo prefeito Guilherme Ávila.

zrodeo-team-roping-vhs-smA nova legislação, aprovada por todos os vereadores de Barretos, inclusive por Paulo Henrique Correa, suspendia a decisão que proibia as provas de laço nos rodeios da cidade.

O relator da limitar Pérciles Piza considerou a tentativa do município como um inaceitável retrocesso. Porque, segundo ele, a própria legislação paulista preza pela proteção dos animais contra práticas cruéis.

Segundo a Associação Os Independentes, que organizam o rodeio de Barretos, a prova que eles pretendiam fazer seria a prova do laço em dupla.

No laço em dupla, novilhos são perseguidos em alta velocidade e depois laçados sendo que um dos competidores laça a cabeça ou os chifres do animal e o outro laça as pernas, o animal é puxado em direções opostas podendo resultar em fraturas, distensão e ruptura de músculos e tendões, deslocamento de vértebras com risco dos animais virem à óbito ou ficarem tetraplégicos e serem sacrificados. O prefeito de Barretos Guilherme Avila, Paulo Henrique Correa e todos os demais vereadores de Barretos não veem nada de errado em uma prova tão cruel.