juraci martins

Descaso antigo

No sudoeste goiano, a cidade de Rio Verde, cujo atual prefeito é Juraci Martins de Oliveira sofre há muito tempo com o descaso em relação aos animais. Ainda sem políticas públicas, o número de animais abandonados só aumenta. Osório Leão Santa Cruz, já falecido, foi prefeito de 1983 a 1988 e de 1993 a 1996. Assinou um contrato com o Fundo Nacional de Saúde para a implantação e manutenção do Centro de Controle de Zoonoses, porém, foi investigado e condenado pelo Ministério Público por desvio de verba em favor do empresário José Simões Ribeiro, representante da J. Simões Engenharia Ltda. Apesar de a verba ter sido repassada à construtora, a obra foi abandonada em fase inicial. Osório Leão teve participação também no caso em que o ex presidente do antigo Banco do Estado de Goiás (BEG), Aires Neto Campos Ferreira foi enquadrado pelo artigo 17 da lei do Colarinho Branco, que considera crime tomar, receber ou deferir empréstimos à gestores de instituições financeiras, cônjuges e parentes!
Atualmente já contamos com um CCZs, que manteve por muito tempo práticas arcaicas. A “carrocinha” até pouco tempo -cerca de um ano- percorria as ruas da cidade recolhendo animais e com apoio da Polícia Militar. Os animais lá permaneciam por até 48h e caso ninguém aparecesse para adotá-los, eram eutanasiados. A diretora da Secretaria Municipal de Vigilância Sanitária, responsável pelo CCZs junto à Secretaria Municipal de Saúde, Lívia Leão Alves, era conivente com a “carrocinha”. Além disso, atendiam à pedidos da população, recolhendo animais agressivos e doentes e que “diziam” não ter mais possibilidade de tratamento… Um animal agressivo não tem possibilidade de sarnatratamento? Agressividade não é doença, é irresponsabilidade do tutor do animal que não soube dar amor! Agora, dizem realizar a eutanásia apenas em animais em fase terminal e com o laudo de um veterinário particular…  Infelizmente não temos essa certeza. O objetivo principal de um CCZs é atuar de forma preventiva: campanhas de vacinação, conscientização da população sobre a necessidade da adoção e desestímulo à compra de animais -devido ao imenso número de animais abandonados e sofrimento das chamadas matrizes de animais de raça-, posse responsável, direitos animais e principalmente ações de castração em massa! Temos faculdade de medicina veterinária na cidade e as Secretarias Municipais de Saúde e de Vigilância Sanitária, não fizeram até hoje nenhuma parceria! Além disso, A Universidade de Rio Verde (UniRv) e o Instituto Federal Goiano ainda utilizam animais para fins “didáticos”, fazendo com que sofram uma morte lenta e cruel por vivissecção.

Rio Verde e a proteção animal
Contamos com uma ONG, ARPA (Associação Rio-verdense de Proteção Animal), que pouco faz pelos animais, já que não tem nenhuma ajuda da prefeitura e sarnaesabemos que na proteção animal força de vontade não é tudo, sem ajuda financeira é muito difícil! Juraci Martins é prefeito da cidade desde 2009 e nunca se lembrou dos nossos animais. Na última eleição municipal, em 2012, tivemos promessa de ajuda de candidatos à vereadores. James Gonçalves Borges, do PSDB, ficou como suplente e o eleito Iran Mendonça Cabral, conhecido como Iran Caxote, do PSD. O máximo que conseguimos até hoje foi a doação de um terreno público para a construção de uma cede, sem condições de fazermos ao menos espaço provisório apenas com tijolos e cimento! Iran Caxote sugeriu uma lei municipal, a qual foi aprovada e destina R$60.000,00 do fundo municipal de saúde à ARPA. Uma verba de R$60.00,00 anuais ajuda muito em castrações e outros cuidados veterinários que os animais não só abandonados, mas também da população carente precisam! Apesar de ter sido aprovada recentemente, até agora nada foi repassado à ARPA! Vale ressaltar que essa lei, sugerida pelo vereador Iran Caxote foi aprovada dia 06/06/2014, aproximando-se das eleições, para que possa fortalecer a candidatura dos seus amigos: Lissauer Vieira, agricultor e candidato à deputado estadual pelo PSD e Heuler Abreu Cruvinel, vindo de família agropecuarista e candidato à deputado federal pelo… PSD!

LEI N. 6.428 / 2014
(Altera Lei 6.371/2013 que autorizou o Município a realizar convênios)
A CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO APROVA:
Art. 1o – Fica o Poder Executivo autorizado a realizar convênios com a entidade não governamental abaixo relacionada, para que vigore no decorrer do exercício de 2014, cujos objetivos se identifiquem com as necessidades da comunidade:vaca
I – Associação Rio-verdense de Proteção dos Animais – ARPA, podendo o município promover-lhe o repasse financeiro no valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), advindos do Fundo Municipal de Saúde, objetivando apoio financeiro para desenvolver ações que previnam as zoonoses, controlem o crescimento populacional desordenado de animais, com o intuito de prevenir doenças em seres humanos.
Art. 2o – O valor constante no artigo anterior refere-se a repasse anual e o convênio autorizado por esta Lei vigerá no exercício de 2014, podendo ser aditivado conforme necessário para exercícios seguintes.
Art. 3o – Esta Lei poderá ser regulamentada por ato próprio do Poder Executivo, se porventura necessário.
Art. 4o – Revogadas disposições em contrário, esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.
SALA DAS SESSÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO., aos 06 dias do mês de junho de 2014.

Como se não bastasse, a prefeitura cadastra as carroças da cidade, que são enumeradas. Os cavalos ficam “estacionados” em uma praça o dia todo, com a carroça presa à eles, amarrados à uma árvore e sem ganhar ao menos água! Quando saem para “trabalhar” são chicoteados para que andem mais rápido! Além disso, um senhor fica em outra praça durante a noite com alguns burrinhos para as crianças darem uma volta, como se isso fosse diversão! Por ser uma praça movimentada, cheia de barzinhos, não faltam clientes para esses pobres bichinhos, que desse senhor só recebem maus tratos! Sim!!! Ele já matou de forma cruel outros dois animais (fora os que não temos conhecimento), dois cavalos que morreram da mesma forma: machucados e deixcavaados em um terreno até a
morte. Nossos políticos simplesmente não se importam e por mais que protetores insistam em denunciar esse assassino, nada acontece. E nossa delegacia de proteção animal, bem… não temos! Há também um canil que vende cachorros como se fossem seguranças! Que são “treinados”, mas na verdade maltratados para se tornarem agressivos! Seria cômico se não fosse trágico!


O ruralismo e a política rio-verdense

Rio Verde é uma das cidades que mais cresce no país, ganhando destaque a cada dia quando o assunto é agropecuária. O que tem total apoio do prefeito da cidade, Juraci Martins de Oliveira, filiado ao PSD e reeleito em 2012, até agora, sem grandes feitos no seu segundo mandato. Recentemente recorreu à política do “Pão e Circo”, trazendo um show sertanejo -apesar da dificuldade financeira que o município enfrenta- para a inauguração de obras! Um gasto desnecessário que está sendo investigado pelo Ministério Público, este, que já proibiu a contratação de um ator o qual faria um vídeo sobre o crescimento do agronegócio na cidade! Temos também um candidato a vereador em 2012, também do PSD, que ficou como suplente -espero que não passe disso- conhecido como “Zói do Rodeio” (Claudiomar Reis Marques)! Um deputado federal daqui de Rio Verde, Heuler Abreu Cruvinel, também do PSD,filho de um dos maiores criadores de gado do país, toda a sua família é praticame
nte agropecuarista! Vale ressaltar que nossos queridos: prefeito, deputado federal e governador do estado, Marconi Ferreira Perillo Junior, eleito em 2010 e candidato à reeleição em 2014, filiado ao PSDB, além de aliados políticos, são amigos e têm em comum amigos da elite ruralista! O que fortalece ainda mais a candidatura de cada um, mas nunca se lembram dos animais!

Crueldade + Público influenciável > Lucro
Em Rio Verde, a Exposição Agropecuária, que acontece em julho, conhecida por todos como “Pecuária” é o evento mais esperado do ano. Com exposições e venda de animais, shows e o tal rodeio! É antecedida pelo tradicional desfile na principal avenida da cidade, várias comitivas competem pelo primeiro lugar. Música alta, pessoas bebendo, em cima de caminhões, cavalos, bois… Sabemos que esse ambiente não é propício à eles, alguns ficam assustados e com isso “empacam”, sendo vítimas de chicotes e esporas (objeto cortante que fica na parte de trás da bota de quem está montado e que corta o animal) até andarem novamente.

É inacreditável como em pleno século XXI, quando o homem já foi à lua, o casamento gay já é permitido e as mulheres conquistam cada vez mais o seu espaço, ainda tem gente que se diverte com a tortura! Rodeio não é cultura, não é esporte, é tortura! Animais não são monstros como muitos pensam e peões não são heróis… Os ancavaloimais já entram na arena assustados, uma vez que as músicas são extremamente altas e os fogos de artifício amedrontadores à eles, além de muitas vezes levarem choques elétricos. Se os touros e/ou cavalos pinoteiam e se estressam de tal forma a ficarem agressivos é porque algo está incomodando, e pior que isso, está doendo! Não são selvagens e agressivos por natureza, pois se assim fossem, continuariam a pular mesmo após a retirada do sedem/sedenho! Rodeio é um evento que tem como objetivo a humilhação animal disfarçada de diversão e objetivando lucro. Em Rio Verde é considerado o melhor rodeio em touros do país! Como pode?!

A tão frequentada “Pecuária” conta também com a montaria para crianças, como se fosse rodeio, elas montam em pequenos animais, como carneiros. A Prova dos Três Tambores, que conta com a participação feminina e consiste na amazona contornar três tambores, dispostos de forma triangular, em cima de um cavalo ou égua e em menor tempo possível. Utilizam chicotes e até esporas, o que só causa sofrimento ao animal! O público alvo da “Pecuária” são pessoas que não tem qualquer relação com a agropecuária, mas frequentar esse lugar dá status e se for nos camarotes então… As redes sociais bombam!

A agropecuária no mundo e seus impactos ambientais
RegionalRioVerdeeclientesSemexapresentammuitaqualidadenaTecnoshowComigo(2014-1)Em abril acontece a Tecnoshow Comigo, a maior feira de tecnologia rural do Centro-Oeste e uma das maiores do país. Engloba fabricantes nacionais e internacionais, de máquinas, insumos, produtos veterinários… e animais, é claro! Recebe visitantes de diversos estados e até países e já movimenta mais de um bilhão de reais a cada feira!

É possível perceber que apesar de algumas indústrias instaladas na cidade, a economia rioverdense gira em torno da agropecuária. Até o nosso ilustre prefeito, Juraci Martins, é pecuarista!

O novo Código Florestal fragilizou a proteção ambiental, mas ainda assim estabelece como áreas de preservação permanente (APPs), áreas de vegetação natural em determinados morros e próximas a rios ou lagos -perenes ou não. Tem como objetivo preservar a biodiversidade, os recursos hídricos, evitar o assoreamento dos rios e a erosão do solo. Já as áreas de Reserva Legal, estão localizadas no interior de uma propriedade rural e mantém todos os elementos representativos do ambiente natural da região, de forma a proteger sua biodiversidade, fauna e flora nativas e devem ser equivalentes a no mínino 20% da área total da propriedade. O Centro-Oeste já sofre com a devastação do Cerrado para a produção agrícola e Rio Verde, em especial, por ter muitos produtores rurais sofre também com o desmatamento ilegal. Órgãos responsáveis não se preocupam em fiscalizar e quando isso acontece, os fazendeiros sempre dão aquele “jeitinho brasileiro”!
Sabemos que a agropecuária é responsável por inúmeros malefícios ao nosso planeta. Além da exploração animal, tem como conseqüência, grande parte do superaquecimento do planeta, desflorestamento, empobrecimento e compactação do solo, poluição de rios com a morte de milhares de organismos, fome… Estamos cada dia mais próximos de não conseguirmos produzir alimento para todo mundo se o consumo de animais e seus derivados não diminuir. Ao contrário do que muitos pensam, animais não estão aqui para nos servir, mas sim para vivermos em cooperação. E talvez nem nós nem o planeta suportem uma segunda Revolução Verde!

Colaboração: L. Q